domingo, 21 de abril de 2013

Mamífero pré-histórico recebe nome em homenagem ao Piauí

Cientistas batizam mamífero pré-histórico descoberto em homenagem ao Piauí
Em 21/04/13, 16:29

Um novo mamífero pré-histórico cujas ossadas foram descobertas na região de São Raimundo Nonato homenageia o Piauí e a Serra da Capivara em seu nome. O Piauhytherium capivarae é uma nova espécie de mamífero de grande porte, da família dos Toxodontes, semelhante a um rinoceronte e com hábitos aquáticos, tal qual os atuais hipopótamos.

A descoberta foi realizada pelos pesquisadores Claude Guérin e Martine Faure, da Universidade Claude Bernard-Lyon 1, na França, que trabalham em parceria com a Fundação Museu do Homem Americano (Fumdham) desde as primeiras publicações paleontológicas sobre a região, na década de 1990. A dupla dedicou seu estudo à arqueóloga Niède Guidon.

A escolha do nome homenageia primeiramente o estado do Piauí (“Piauhy–“) e é terminado em “-therium” que significa fera, besta ou animal selvagem. Já a segunda parte do nome, “capivarae”, refere-se à Serra da Capivara, por ser a localidade de descoberta da maioria dos fósseis deste animal. O achado foi publicado no final do mês de março no periódico científico internacional Geodiversitas.

Alguns fósseis encontrados na Serra da Capivara

Segundo os autores da publicação, este novo gigante pré-histórico está presente em nove sítios do nordeste brasileiro, sendo que os principais são a Toca do Gordo do Garrincho, no município de Coronel José Dias, as Lagoas do São Vitor e do Quari, ambas em São Raimundo Nonato, e a Lagoa dos Porcos, em São Lourenço do Piauí, todos na região do Parque Nacional Serra da Capivara. Juntos, os sítios analisados permitiram reunir mais de uma centena de restos fósseis deste novo mamífero. 

A detalhada comparação realizada pelos pesquisadores demonstrou que o esqueleto de Piauhytherium capivarae é consideravelmente diferente do de outra espécie proximamente aparentada a ele: Toxodon platensis. As diferenças mais evidentes verificadas residem na forma de regiões específicas do crânio e dos dentes. 

A partir das descobertas fósseis os estudiosos puderam elaborar hipóteses sobre alguns aspectos da (paleo)ecologia destes gigantes extintos. Em parte dos sítios paleontológicos analisados os cientistas encontraram indícios de que Piauhytherium capivarae e Toxodon platensis habitaram algumas localidades geográficas em comum. Este dado é bastante curioso, pois sugere que estas duas espécies de animais relativamente semelhantes competiam por recursos de um mesmo território, como água e os vegetais que constituíam sua dieta.

A descrição desta nova espécie reforça o potencial paleontológico do nordeste brasileiro e demonstra que as pesquisas nesta região podem ser bastante frutíferas e que há muito a se explorar. 

Ilustração de um toxodonte, como o Piauhytherium capivarae.


Fonte: Portal Cidade Verde com informações do Portal Serra da Capivara